Falando com Eles Inspiração São Paulo

Steve Jobs, o visionário

10 julho, 2017

“As pessoas suficientemente loucas para acharem que podem mudar o mundo são as que o mudam.”

Com essa frase que adoro, começo o post de hoje contanto sobre a exposição do autor da mesma.

Steve Jobs – O Visionário

Até 20 de agosto no MIS – Museu da Imagem e do Som aqui em SP.

Eu sou bem suspeita para falar dele, que pra mim é um dos grandes nomes da inovação mundial! Sempre fui fã declarada da Apple, uma marca que me inspira e me seduz desde sempre. Sou daquelas que tem caneca, caderno, adesivo no carro e claro, sempre espero ansiosa pelo lançamento do próximo iPhone. Também tive o privilégio de conhecer a sede da Apple no Vale do Silício, California e claro, visitei a casa que ele morou.

Alguém lembra que o primeiro iPhone surgiu em 2007? Já faz 10 anos e durante todos esse tempo, em cada lançamento, eu fui seguindo as evoluções e o crescimento da Apple.

Eu adorava acompanhar os eventos de lançamentos feitos pelo Steve, que era um excelente comunicador e tinha prazer em surpreender a platéia com novidades incríveis.

STEVE 1

Perfeccionista, talentoso, inquieto, inventivo… aos 20 anos de idade, na garagem de seus pais  ele criou o que viria a ser o primeiro computador pessoal do mundo e lançava a Apple.  Três anos depois, já acumulava 100 milhões de dólares. Por anos consecutivos foi a marca mais valiosa do mundo. Segundo o Meio & Mensagem (2017), foi avaliada em US$ 107 bilhões, perdendo espaço para a Google US$ 109,4 bi.  A Apple tem lutado para manter sua vantagem tecnológica, com novas iterações do iPhone, mas sabemos que lançamentos como o Apple Watch não emplacaram como era esperado.


Lembro até hoje do meu 1º iPod branco (que tenho e funciona até hoje!). Depois fui adquirindo o IPhone, iPad, Mac, MacBook Air, Apple TV, Apple Watch… A Apple mudou minha vida, meu dia-a-dia, sério!

Simplificou, agilizou, compactou, deixou tudo mais bonito, clean e divertido. Eu que amo fotografar e tenho varias câmeras, vejo a evolução da câmeras e funcionalidades dos iPhones e cada vez uso fotografo mais com o mesmo. Só que não posso deixar de fazer o contraponto que, da mesma forma que a tecnologia facilita nossas vidas, também ajuda a nos distanciar; cada vez mais mensagens e e-mails, WhatsApp, Redes Sociais, cada vez mais touch e menos toque, menos encontros e olhos nos olhos…

Inclusive eu venho fazendo um exercício diário para me policiar, para olhar menos o celular, para mandar menos mensagens e ligar mais… Para não ficar postando desenfreadamente, quando estou com alguém ao lado. Só que desse tema eu falarei em breve, em um outro post =)

Voltando à Exposição…

Assim que chegou em São Paulo fui correndo visitar e nem peguei fila. Está instalada em um dos espaços culturais que eu adoro, o Museu da Imagem e do Som. Sempre aproveito para dar uma volta no Museu da Escultura que fica do lado.

A Vida e a obra de Steve Jobs está muito bem retratada por fotos, reportagens, filmes, músicas e produtos. Achei interessante a forma com que todo o material foi “amarrado”, através de um percurso com 6 temas centrais: Espiritualidade, inovação, competição, fracasso, negócios e sonhos.

Em cada um desses temas somos surpreendidos por curiosidades e fatos inusitados do ex-CEO da Apple.

Duas peças que eu já conhecia a história e que sempre me chamam a atenção pela genialidade estão na exposição e merecem uma atenção a mais.

d2f9312a-1628-4853-9781-74627bf2123aUma delas é o Apple-1, o primeiro computador da Apple, criado em 1976! Uma peça enoooorme que depois de muitos anos se modernizou e foi transformada nos nossos fininhos e levinhos computadores. É inacreditável!

 

014f256d-9f6e-4e29-9271-5cd226b9da68Outra raridade que me marcou e que me fez refletir foi o “Lisa”. Lançando em 1983, ele foi o primeiro computador a ter mouse e acabou sendo considerado um grande fracasso comercial da Apple. Porém, anos mais tarde, o Lisa acabou servindo de base para a criação do Macintosh!

Ou seja, algo que foi desvalorizado, acabou sendo inspiração para umas das maiores inovações do mundo! Vale a reflexão, não vale?

A exposição traz, então, as playlists de Steve Jobs, que segundo os organizadores foram enviadas pela viúva do executivo. É possível ouvir elas em iPods disponibilizados ao público com um telefone ao lado por onde sai o som.

John Lennon, Bob Dylan, Janis Joplin, Joan Baez, Miles Davis e The Who são alguns clássicos presentes na playlist. Bom gosto, hein, Steve?

Um acervo de fotos inéditas da vida pessoal de Steve Jobs em momentos de descontração mostra um Steve tranquilo, sossegado e feliz. Bem diferente do que seus colegas de trabalho e a imprensa diziam sobre ele…

STEVE2

Certa vez li que um jornalista do “The Wall Street Journal” disse que ao contar para os colegas de profissão que entrevistaria Jobs, recebeu a recomendação para que fosse munido de um colete a prova de balas!  Também era conhecido como um chefe implacável, que podia demitir um funcionário no elevador caso ele não tivesse na ponta da língua resposta sobre um produto em desenvolvimento na companhia.  “Meu trabalho não é ser fácil com as pessoas. Meu trabalho é torná-las melhores.”  Steve nunca permitiu que a Apple fizesse produtos apenas razoáveis, nem mesmo bons: ele só aceitava os excelentes”, afirmou  Wozniak, amigo e cofundador da Apple.

Genialidade à parte, Steve Jobs era impaciente, arrogante e passava por cima de qualquer pessoa para conseguir o sucesso. E conseguiu.

O vídeo abaixo está na entrada da exposição e eu filmei com meu iPhone 7 plus. Mostra a evolução da aparência de Steve no decorrer dos anos de sua carreira.

Infelizmente ele foi vítima de um câncer terrível e que tirou sua vida aos 56 anos de idade. Ou seja, no fim das contas concluímos que não vale a pena levar a vida de forma tão dura e sem leveza, que ter dinheiro e sucesso é bom, mas não compram o mais importante, nossa saúde.  Quando ele morreu, a Apple colocou uma nota fazendo a seguinte mensagem: “A Apple perdeu um gênio visionário e criativo, e o mundo perdeu um ser humano incrível. Aqueles que tiveram o prazer de conhecer e trabalhar com Steve perderam um amigo  e um mentor inspirador. Steve deixa para trás uma companhia que somente ele pôde erguer e seu espírito será para sempre a essência da Apple”.

O vídeo a seguir não tem a ver com a exposição, mas quero compartilhar pois mostra um pouco dos desafios que enfrentou para chegar onde chegou. Ele discursa na Universidade Stanford (que tive o prazer de visitar ano passado) e conta 3 histórias inspiradoras!

Garanto que vale dedicar alguns minutos do seu tempo.

STEVE JOBS, O VISIONÁRIO

Museu da Imagem e do Som: Av. Europa, 158, Jd. Europa
De 15 de jun a 20 de ago
Horários: 11h-20h ter a sex / 10h-21h sáb/ 10h-19h domingos e feriados

Ingressos:

Bilheteria
Grátis às terças
4ª a domingo
R$ 10 (inteira)
R$ 5 (meia)

Venda Online
R$ 18 (inteira)
R$ 9 (meia)

Beijos da

ale_logo

 

You Might Also Like

1 Comentário

  • Reply Anita 20 julho, 2017 at 17:02

    Obrigada pela dica, Alê! Vou nesse fds =)

  • Deixe um comentário