Trabalhando com Alê

Olhando por outra perspectiva

26 maio, 2020

Minha quarentena começou com o alerta de recomendação para que eu ficasse em casa por 14 dias, pois havia tido contato com uma pessoa diagnosticada com coronavirus. Logo em seguida o Brasil parou.
Falar que estamos vivendo um pesadelo talvez pareça exagero para algumas pessoas, outras já se identificam mais pois estão sendo super impactadas. Outro dia li algo como: “Não, não estamos no mesmo barco, estamos no mesmo mar: alguns de barco, outros de iate, outros de bote sem colete salva vidas…” Achei pertinente pois tem gente feliz perto dos filhos, tem gente de quarentena na fazenda e também tem família grande numa quitinete, tem gente que precisa trabalhar e não consegue pois a casa está um caos, tem mulheres sofrendo violência doméstica, entre tantas outras difíceis realidades e, pensar nessas situações me deixa bem triste.
Mas hoje quero colocar tudo isso sob uma outra perspectiva, ao menos tentarei.
Sou da área de eventos, setor que foi o primeiro a parar e é provável que seja o último a voltar às atividades. O setor de eventos emprega 25 milhões de pessoas de forma direta e indireta. É uma cadeia de profissionais liberais gigante!
Sabemos que tudo vai passar, mas quando? Certamente esta é a maior pergunta… fico revendo minhas fotos dos eventos que já fiz e a dúvida de como e quando se dará o retorno é muito intensa. A foto acima foi tirada minutos antes de abrirmos as portas do Teatro Bradesco aqui em SP para o público entrar.
Que saudades desse frio na barriga que dá cada vez que as “cortinas” estão para se abrir…


Acredito que mesmo com tanta angústia e questionamentos infinitos, temos hoje uma oportunidade… Os momentos difíceis nos obrigam a parar, pensar, agir e é a hora de criar uma rotina de foco e nos reinventarmos, repensarmos nossos talentos, desenvolver novos… O que mais posso fazer se os eventos deixarem de existir? Se você já perdeu ou se perder seu emprego, o que mais você sabe fazer?
É fundamental estarmos preparados para quando pudermos voltar às nossas funções e “colocar a mão na massa”, pois certamente teremos uma nova sociedade, totalmente transformada após a pandemia.
Na minha área, dentre tantas coisas, estou pensando muito sobre novas formas de conexão, celebração, reconhecimento, de eventos mais sustentáveis no sentido mais amplo da palavra. Pensando nos desafios em promover uma experiência incrível ao cliente, mesmo sem contato físico por algum tempo. São muitas questões que posso aproveitar meu tempo para esboçar.
Lembremos sempre que a nossa mente é muito potente e que depende de estímulos para criar! Nem todos os dias são bons, inspiradores e felizes, mas se temos o principal que é saúde, vamos agradecer e exercitar agora a solidariedade e torcer para que muito em breve possamos continuar juntos.
E como disse meu sábio amigo Luiz Seabra, numa linda mensagem otimista que recebi outro dia: “Voltaremos tão logo possível, a projetar festas, eventos, encontros, mais felizes ainda. Afinal, grandes experiências aumentam nosso entendimento do propósito da vida. Iluminam nosso coração, pensamentos e caminhos.”
Essas palavras encheram meu coração de esperança e alegria. Eu acredito! E você?

Um beijo da

You Might Also Like

Sem Comentários

Deixe um comentário